Resenha – Percy Jackson e os Olimpianos – O Ladrão de Raios

Autor: Rick Riordan
Título Original: Percy Jackson & the Olympians – The Lightning Thief 
ISBN: 9788598078397
Editora: Intrínseca
Páginas: 400
Amazon | Submarino | Americanas

 Sinopse
Primeiro volume da saga Percy Jackson e os Olimpianos, O Ladrão de Raios esteve entre os primeiros lugares na lista das séries mais vendidas do The New York Times. O autor conjuga lendas da mitologia grega com aventuras no século XXI. Nelas, os deuses do Olimpo continuam vivos, ainda se apaixonam por mortais e geram filhos metade deuses, metade humanos, como os heróis da Grécia antiga. Marcados pelo destino, eles dificilmente passam da adolescência. Poucos conseguem descobrir sua identidade.
O garoto-problema Percy Jackson é um deles. Tem experiências estranhas em que deuses e monstros mitológicos parecem saltar das páginas dos livros direto para a sua vida. Pior que isso: algumas dessas criaturas estão bastante irritadas. Um artefato precioso foi roubado do Monte Olimpo e Percy é o principal suspeito. Para restaurar a paz, ele e seus amigos – jovens heróis modernos – terão de fazer mais do que capturar o verdadeiro ladrão: precisam elucidar uma traição mais ameaçadora que a fúria dos deuses.

Opinião
Antes de começar a ler vi muitas pessoas falando que esse era o novo Harry Porter. Realmente há algumas semelhanças – garoto de 12 anos que perdeu a mãe, “half-blood” etc – mas achei Percy Jackson mais interessante.
Gostei muito do livro pois a história é bem dinâmica, é do tipo que você fala “Vou ler só mais esse capítulo”, mas quando acaba não resiste em ir para o próximo. Juntando isso à leitura fácil o autor conseguiu criar um livro envolvente, sem enrolações e com um ritmo maravilhoso.
Apesar de ser um livro infanto-juvenil, Percy Jackson é capaz de agradar crianças e adultos com suas aventuras. Recomendo para todos, principalmente os que gostam de mitologia grega.

O filme Percy Jackson e os Olimpianos – O Ladrão de Raios vai estreiar nos cinemas dia 12/02/2010. Clique aqui para ver o trailer. 

Nota 8

Resenha – A Menina Que Brincava Com Fogo

Autor: Stieg Larsson
Título Original: Flickan som lekte med elden
ISBN: 9788535914221
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 608
Amazon | Submarino | Americanas

Sinopse

Lisbeth Salander é acusada de triplo assassinato, e a polícia está em seu encalço. A jovem hacker é esquiva, egoísta e pode ser muito violenta quando provocada. Mikael Blomkvist, editor-chefe da revista Millennium, sabe muito bem disso. Mas, ao contrário do restante da imprensa, que não se acanha em crucificá-la, ele acredita na inicência da moça. Para ele, os homicídios relacionam-se a uma série de reportagens que a Millennium pretendia publicar sobre o tráfico de mulheres provenientes do Leste Europeu. Um esquema de corrupção cujos tentáculos alcançam promotores, juízes, policiais e jornalistas. Lisbeth livrou Mikael da morte dois anos antes. Agora ele tem como retribuir.

Opinião
Desde de o primeiro livro (Os Homens Que Não Amavam As Mulheres) a personagem Lisbeth Salander me chamou muita atenção, fiquei muito curiosa para saber sobre o passado dela. Nesse livro o autor contou toda a história da personagem e deixando bem claro o porque ela tem uma personalidade, digamos, peculiar.
O livro é ótimo do começo ao fim, só achei 2 pontos negativos: 1 – o autor às vezes é repetitivo; 2 – Em uma das melhores partes o livro acaba. Sim, a história para na metade, então recomendo que quando terminar de ler esse, tenha o terceiro em mãos.

Nota 9

Resenha – A Arte da Guerra

Autor: Sun Tzu
Título original: sūn zĭ bīng fǎ
ISBN: 8525410594
Editora: L&PM
Páginas: 147

Amazon | Submarino | Americanas

Sinopse
Milenar tratado militar de Sun Tzu, A Arte da Guerra é tão compreensível e atual que se tornou um texto clássico. Acredita-se, inclusive, que o livro tenha sido usado ao longo dos tempos por estrategistas militares como Napoleão, Adolf Hitler e Mao Tse Tung. Hoje, o livro migrou das estantes dos estrategistas para a dos economistas, administradores, políticos, vendedores, empresários e todos aqueles cuja meta é a vitória – em todos os níveis.

Opinião
Fiquei curiosa para descobrir como estratégias de guerra poderia ser aplicada no mundo dos negócios e logo nos primeiros pontos citados já pude ver como isso é possivel. Questões como paciência, trabalho em equipe e análise de riscos são abordadas de forma simples e que fazem sentido para qualquer pessoa que tenha a mínima noção em empreendimento.
Não indico a leitura como passatempo, porque o interessante é absorver o conteúdo, fazer uma comparação entre as dificuldades da guerra e da vida.

Nota 6

Resenha – Os Homens Que Não Amavam as Mulheres

Autor: Stieg Larsson
Título original: Män som hatar Kvinner
ISBN: 9788535913248
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 524

Amazon | Submarino | Americanas

Sinopse
Os homens que não amavam as mulheres é um enigma a portas fechadas – passa-se na circunvizinhança de uma ilha. Em 1966, Harriet Vanger, jovem herdeira de um império industrial, some sem deixar vestígios. No dia de seu desaparecimento, fechara-se o acesso à ilha onde ela e diversos membros de sua extensa família se encontravam. Desde então, a cada ano, Henrik Vanger, o veelho patriarca do clã, recebe uma flor emoldurada – o mesmo presente que Harriet lhe dava, até desaparecer. Ou ser morta. Pois Henrik está convencido de que ela foi assassinada. E que um Vanger a matou.
Quase quarenta anos depois o industrial contrata o jornalista Mikael Blomkvist para conduzir uma investigação particular. Mikael, que acabara de ser condenado por difamação contra o financista Wennerström, preocupa-se com a crise de credibilidade que atinge sua revista, a Millennium. Henrik lhe oferece proteção para a Millennium e provas contra Wennerström, se o jornalista consentir em investigar o assassinato de Harriet. Mikael descobre que suas inquirições não são bem-vindas pela família Vanger. E que muitos querem vê-lo pelas costas. De preferência, morto. Com o auxílio de Lisbeth Salander, que conta com uma mente infatigável para a busca de dados – de preferência, os mais sórdidos -, ele logo percebe que a trilha de segredos e perversidades do clã industrial recua até muito antes do desaparecimento ou morte de Harriet.

Opinião
O livro começa falando sobre o jornalista Mikael Blomkvist, confesso que achei fraco e desanimei um pouco nas primeiras páginas. Mas quando a família Vanger entra na história, o livro fica extraordinário, especulativo e misterioso.
Os personagens são complexos, cheios de segredo e com passado obscuro, o que me fez querer saber muito mais além do que foi descrito.
Como é o primeiro livro da série Millennium, ele acabou e me deixou querendo mais. Espero que o segundo seja tão bom quanto esse.

Nota 8

Resenha – O Misterioso Caso de Styles

Autor: Agatha Christie
Título original: The Mysterious Affair at Styles
ISBN: 9788577990696
Editora: Bestbolso
Páginas: 238

Amazon | Submarino | Americanas


Sinopse
No meio da noite, a rica proprietária da mansão Styles é encontrada morta na sua cama, aparentemente vítima de um ataque cardíaco. As portas do quarto estavam trancadas por dentro e tudo indicava tratar-se de morte natural. Mas o médico da família levanta uma suspeita: assassinato por envenenamento. Todos os hóspedes da velha mansão, inclusive seu segundo esposo e seus enteados John e Lawrence tinham motivos para matar a Sra. Inglethorp, e nenhum deles possui um álibi convincente.
Para solucionar o crime entra em ação o detetive Hercule Poirot e seu fiel amigo capitão Arthur Hastings, que fazem as suas estréias neste intrigante caso.

Opinião
Esse foi o primeiro livro de Agatha Christie e foi um marco da literatura policial. Nele o detetive Poirot e o capitão Hastings fizeram sua primeira aparição, sendo depois uma das maiores duplas conhecidas na literatura.
Depois de ler este livro entendi porque Agatha Christie sustenta o título de Rainha do Crime. O romance é muito engenhoso, faz o leitor tirar suas conclusões e mudá-la várias vezes no decorrer da história.
Apesar de ser um livro de 1920 a história é atemporal.

Nota 9
This site employs the Wavatars plugin by Shamus Young.