Crítica – Guardiões da Galáxia Vol. 2

Guardiões da Galaxia 2 Poster

Guardiões da Galáxia Vol. 2
Título Original: Guardians of the Galaxy Vol. 2
Diretor: James Gunn
Atores: Chris Pratt, Zoe Saldana, Dave Bautista, Vin Diesel e Bradley Cooper
Ano: 2017

Sinopse
Agora já conhecidos como os Guardiões da Galáxia, os guerreiros viajam ao longo do cosmos e lutam para manter sua nova família unida. Enquanto isso tentam desvendar os mistérios da verdadeira paternidade de Peter Quill (Chris Pratt).

Opinião
Depois do final do primeiro filme (Guardiões da Galáxia) fiquei muito ansioso esperando pela sua continuação. Muitas questões ficaram no ar e eu queria conhecer muito mais dos personagens e suas histórias e o universo em que eles estavam vivendo.

O filme começa com uma cena de ação, focando no pequeno Groot enquanto a porrada come solta. O motivo de tudo aquilo é explicado um pouco depois. Porém, as coisas não dão muito certo e isso persegue os personagens durante o filme. Sem contar muito mais da história, posso dizer que o filme inteiro é baseado em relacionamentos. O principal é entre Peter Quill (mais conhecido, ou não, como Star-Lord) e seu pai e os secundários, envolvendo os outros guardiões.

Achei que a história foi muito focada no Peter Quill, que é o ponto central da trama, e pouco se desenvolveu dos outros membros do grupo, chegando a ser enfadonha em certos pontos. Além disso, acredito que os roteiristas perderam um pouco a mão no humor, uma das grande qualidades do primeiro filme, colocando piadas com o timming errado ou simplesmente sem graça.

O visual e a trilha sonora são um espetáculo à parte. Com belíssimas cenas e ótimas musicas, aí sim, em um timming perfeito com a história e os diálogos. As atuações foram boas, especialmente a de Kurt Russell. Deixo ainda o meu elogio a excelente reprodução do ator mais novo. Impressionante! Aparentemente, novos personagens foram adicionados aos Guardiões, o que pode ser preocupante ou excelente, pois são mais histórias que podem ser exploradas se, e somente se, os próximos filmes não foram focados em apenas um personagem.

Fiquei um pouco decepcionado com esta continuação, mesmo tirando toda a expectativa que eu tinha. Achei que infelizmente ele não conseguiu manter o mesmo nível do primeiro filme, com uma história não tão interessante e personagens um pouco apáticos. No entanto é um bom filme para se ver principalmente para aqueles que gostam de ficção científica.

Nota 8

Resenha – The Dispatcher

The Dispatcher capaThe Dispatcher
Autor: John Scalzi
Editora: Subterranean Press
Páginas: 128
Comprar: Amazon

Sinopse
One day, not long from now, it becomes almost impossible to murder anyone – 999 times out of a thousand, anyone who is intentionally killed comes back. How? We don’t know. But it changes everything: war, crime, daily life. Tony Valdez is a Dispatcher – a licensed, bonded professional whose job is to humanely dispatch those whose circumstances put them in death’s crosshairs, so they can have a second chance to avoid the reaper. But when a fellow Dispatcher and former friend is apparently kidnapped, Tony learns that there are some things that are worse than death, and that some people are ready to do almost anything to avenge what they see as a wrong. It’s a race against time for Valdez to find his friend before it’s too late…before not even a Dispatcher can save him.

Opinião
The Dispatcher é um livro de John Scalzi que primeiro foi publicado em audio book e depois transcrito para o livro físico. É um livro curto, com 130 páginas que conta a história de um futuro em que 99% das pessoas assassinadas reaparecem em suas casas sã e salvas. O problema é que em alguns raros casos a pessoa assassinada não volta e continua morta e ninguém consegue explicar o porque as pessoas voltam ou não. O fato gera implicações na vida de todas as pessoas, principalmente na área da medicina, pois se a pessoa morrer de morte natural ela não retorna.

A história começa quando um despachante, que são oficiais legalmente autorizados para “despachar” pessoas, some e seu amigo é recrutado para ajudar a encontra-lo. Como já disse em outra análise, a escrita de John Scalzi é um dos pontos fortes de seus livros. Ele consegue narrar a história de maneira ágil e fluida, sempre usando muito humor e prendendo o leitor desde as primeiras páginas.

Neste livro, além da ótima qualidade da edição, com capa dura e papel de maior gramatura, o que chama a atenção são as belas ilustrações que ajudam o leitor na imersão da história. A descrição dos personagens e lugares é bem mais sucinta, talvez pelo fato de ter vindo de um áudio book. O que não chega a atrapalhar o entendimento da história.

Gostei muito do livro no geral, é uma história rápida e fácil de ler e traz uma ideia interessante. No entanto, acredito que faltou um pouco mais de detalhamento e algumas explicações que poderiam ter deixado o livro mais interessante. É uma história um pouco diferente das já publicadas pelo autor, mais no sentido da forma de escrita do que no tema.

Com uma ótima edição e ilustrações é um livro que eu recomendo, especialmente para quem gosta de ficção científica.

Nota 8

Resenha – The End Of All Things

The End Of All Things CapaThe End Of All Things (Guerra do Velho #6)
Autor: John Scalzi
Editora: Tor Books
Páginas: 380
Comprar: Amazon

Sinopse
Humans expanded into space…only to find a universe populated with multiple alien species bent on their destruction. Thus was the Colonial Union formed, to help protect us from a hostile universe. The Colonial Union used the Earth and its excess population for colonists and soldiers. It was a good arrangement…for the Colonial Union. Then the Earth said: no more.

Now the Colonial Union is living on borrowed time—a couple of decades at most, before the ranks of the Colonial Defense Forces are depleted and the struggling human colonies are vulnerable to the alien species who have been waiting for the first sign of weakness, to drive humanity to ruin. And there’s another problem: A group, lurking in the darkness of space, playing human and alien against each other—and against their own kind —for their own unknown reasons.

In this collapsing universe, CDF Lieutenant Harry Wilson and the Colonial Union diplomats he works with race against the clock to discover who is behind attacks on the Union and on alien races, to seek peace with a suspicious, angry Earth, and keep humanity’s union intact…or else risk oblivion, and extinction—and the end of all things.

Opinião
Este é o sexto e último livro da série “Guerra do Velho”, que começou com o livro de mesmo nome. O livro é dividido em quatro partes, focando em um personagem e contando uma parte dos últimos dias das coisas como elas são. A história é cheia de tramas políticas e questões diplomáticas envolvendo a Terra, a União Colonial e a Conclave.

Achei a história muito boa, mais focada nas tramas políticas do que na ação. Não há muitos elementos novos dentro do universo da “Guerra do Velho”, portanto não espere nenhuma grande novidade. É um livro em que você passa o tempo inteiro com aquele sentimento de que as coisas estão ruins e que logo vão acabar da pior maneira para a humanidade.

Eu gosto muito da escrita do John Scalzi, acho ela fluida e dinâmica. São livros que não são maçantes e te prendem na história desde o início. Neste livro, a divisão em quatro partes foi muito bem feita, fazendo total sentido dentro do contexto maior. Os personagens não são profundamente caracterizados ou psicologicamente desenvolvidos, até porque cada parte tem o seu personagem principal. No entanto, os personagens são suficientemente descritos de maneira que que você sinta empatia por cada um e tenha vontade de continuar a ler suas histórias.

Achei o livro muito bom, digno da séria que ele encerra. Acredito que alguns pontos ainda ficaram muito abertos. Por exemplo, no plano final não dá para saber se todos cumprirão as suas partes ou se todos vão viver felizes para sempre. Existe brecha para um novo livro, mas acredito que a maioria dos pontos foram resolvidos e que uma continuação dessa história seria muito difícil. O que não impede um novo livro da série com uma história de uma época passada, por exemplo a criação da União Colonial.

Nota 9

Resenha – O Perfume

Capa do livro O PerfumeO Perfume – A História de um Assassino
Título original: Das Parfum – Die Geschichte eines Mörders
Autor: Patrick Süskind
Editora: Editora Record
Páginas: 279
Comprar: Amazon|Submarino|Americanas

Sinopse
França, século XVIII. O recém-nascido Jean-Baptiste Grenouille é abandonado pela mãe junto a restos de peixes em um mercado parisiense. Rejeitado também pela natureza, que lhe negou o direito de exalar o cheiro característico dos seres humanos, pelas amas-de-leite e por instituições religiosas, o menino Grenouille cresce sobrevivendo ao repúdio, a acidentes e doenças. Ainda jovem descobre ser dotado de imensa sensibilidade olfativa e parte em busca da essência perfeita, do perfume que lhe falta para seduzir e dominar qualquer pessoa. Nessa busca obsessiva, ele usurpa a essência dos corpos de suas vítimas.

Opinião
Recentemente o podcast Covil de Livros fez um cast sobre o livro O Perfume e chamou muito minha atenção. Esse livro é de 1985 mas eu nunca tinha ouvido falar nele, o que me deixou espantada pois até tem um filme baseado nele que eu também não conhecia. É, eu sei, sou desinformada mesmo 😛 Pois bem, assim que eu acabei de ouvir o podcast, fui correndo atrás do livro.

Em O Perfume Patrick Süskind nos mostra o mundo a partir de outro ponto de vista, ou melhor, a partir de cheiros. Com seu personagem Grenouille desprovido de qualquer odor característico mas que possui um super poder olfativo, vamos acompanhando sua saga desde seu nascimento até sua vida adulta onde tudo se baseia em cheiros.

Desde pequeno Grenouille causa estranhamento nas pessoas mas elas não sabem o porque mas isso ocorre pois a criança não exala nenhum cheiro. Quando ele vai crescendo e descobrindo sua hipersensibilidade olfativa, Grenouille começa a trabalhar com um perfumista e, por conta de seu dom, consegue combinar vários ingredientes para criar perfumes perfeitos e harmônicos. Além disso, ele sabe a importância que os cheiros tem para as pessoas e com isso começa a criar um perfume para cada sentimento que ele quer despertar. Quer passar desapercebido? Quer ser desejado? Quer transparecer bondade e inocência? Grenouille controlava facilmente as pessoas pelo seu cheiro artificial. Isso não seria um problema tão grande se Grenouille parasse por ai mas ele decidiu fazer o melhor perfume do mundo, que despertasse os desejos mais intensos nas pessoas que o sentisse.

A história parece ser sem graça no começo mas é impossível não mergulhar na sua história usando nossa memória olfativa. Enquanto você lê o livro, toda a descrição de cheiros dada por Patrick Süskind compõe seu cenário sem se preocupar muito com a descrição visual das coisas.

O livro é pequeno mas achei que as vezes o autor pecou no excesso de descrição e em certas partes o livro ficou bem maçante. De qualquer forma vale a pena a leitura, achei a história muito criativa e, por mais maluca que pareça, totalmente crível.

Nota 8

Resenha – O Livro dos Cachos

Capa O livro dos cachosO livro dos cachos
Autor: Sabrinah Giampá
Editora: Paralela
Páginas: 144

Sinopse
“O liso é sempre mais chique e elegante!”
“O cabelo enrolado não é profissional.”
“Não dá para ir à festa sem fazer chapinha!”

Se você tem cachos, provavelmente escuta frases como essas desde a infância. Isso porque, em nossa sociedade, o cabelo não liso é tido como um problema que deve ser corrigido a qualquer custo. Não é à toa que o Brasil é um dos países em que mais se gasta dinheiro com tratamentos químicos de alisamento.
Mas o que está por trás da suposta supremacia do liso? Quais são os males que as escovas progressivas, japonesas e afins trazem para nossa saúde? Como tratar, hidratar e estilizar nosso cabelo (e o de nossas filhas) de forma eficaz e saudável, respeitando a natureza dos fios?
Em O livro dos cachos, Sabrinah Giampá – jornalista e cabeleireira com especialização em cachos – responde a todas essas perguntas de maneira simples e direta. De quebra, ensina técnicas infalíveis para escolher os produtos adequados, higienizar o cabelo da maneira correta e, claro, combater o ressecamento e o tão temido frizz. Uma leitura indispensável para todas as mulheres, cacheadas ou não. E aí? Pronta para fazer as pazes com suas madeixas?

Opinião

Você tem o cabelo ruim

Sabe essa frase acima? Eu cresci ouvindo ela.
Muitas meninas no Brasil cresceram aprendendo que cabelo cacheado é ruim, feio e que não combina com ninguém. Resultado? Várias meninas/mulheres passando mil produtos químicos para ter o cabelo liso que a sociedade determinou como sendo o cabelo ideal. Só para esclarecer, eu fui uma delas.

“O Livro dos Cachos” é como se fosse uma manual para as cacheadas. Começa falando sobre cada tipo de cabelo e curvatura e qual o melhor método para cuidar do seu tipo de cabelo. Nele contém também a descrição dos métodos de low-poo e no-poo, como eles funcionam, ingredientes proibidos e como se iniciar na técnica. Além disso, o livro também trata de empoderamento e aceitação.
Sabe quando o povo fala que “tá na moda ter o cabelo cacheado”? Então, não é moda. O ponto é que finalmente as mulheres se sentiram livres e fortes o suficiente para encarar a sociedade e se amar como são.

Se você é uma das que não aceita seu cabelo natural, é impossível não se identificar com a luta que a Sabrinah travou por anos contra seu cabelo até finalmente aceitá-lo e descobrir como cuidar dele.
Além disso, ele traz o depoimentos de várias mulheres que foram ofendidas por conta de seus cachos, mostrando o quanto é difícil se aceitar quando o mundo lá fora não para de destruir sua autoestima mas que todo o esforço vale a pena no final.

Esse livro é perfeito para quem está pensando em iniciar ou já iniciou a transição capilar e quer saber mais sobre como cuidar de seus cabelos naturais. No final do livro ele traz um mini dicionário de termos que as cacheadas estão acostumadas a utilizar então se torna bem útil para quem está passando por essa fase e ainda está um pouco perdida.

P.S. Eu estou passando pela transição capilar e fiz um Instagram para mostrar/incentivar/receber apoio de outras pessoas que também estão passando por isso. Se quiser me seguir o Insta é @projeto_cabelonatural

Nota 7

This site employs the Wavatars plugin by Shamus Young.