Tag: Nota 9

Resenha – A História da Filosofia

Livro A História da FilosofiaA História da Filosofia – Da Grécia Antiga aos Tempos Modernos
Título Original: The Story Of Philosophy – From the Ancient Greeks to Great Thinkers of Modern Times
Autor: Anne Rooney
Editora: M. Books
Páginas: 208
Onde comprar: Amazon | Submarino | Americanas | Livraria Cultura | Saraiva | Fnac

Sinopse
A História da Filosofia traça o pensamento filosófico ocidental desde seus primórdios até tempos atuais, com uma linguagem simples e acessível, para que o leitor possa aprender e desfrutar de novos conhecimentos.

A Historia da Filosofia traça o pensamento na Filosofia Ocidental desde os gregos das Antiguidades aos tempos de hoje. Um relato acessível, fascinante e lindamente ilustrado das primeiras preocupações dos maiores pensadores do mundo, que explora os cinco principais ramos da Filosofia: Metafísica, Epistemologia, Lógica, Ética e Estética.

Como objetivo de encontrar “a verdade que vale pra mim”, ajudou os homens a decidir como viver, como pensar sobre o mundo a sua volta, como relacionar com os outros.

Na Filosofia, fazer perguntas é essencial. Quanto mais indecifráveis, mais atraentes elas são. Assim, A História da Filosofia apresenta com concisas explicações e um grande número de exemplos, as principais questões e tentativas de respostas colocadas pelos filósofos nos últimos 2500 anos.

Opinião
Quem conhece o blog, sabe que eu e interesso por filosofia. O problema é que eu não tenho paciência para livros muito formais, pois eles tendem a ser bem maçantes. Então eu busco livros que contém o tema filosofia de um modo mais agradável, como o Platão E Um Ornitorrinco Entram Num Bar.

Quando a editora M. Books entrou em contato comigo, me interessei pelo livro pois logo na sinopse diz que ele tem a linguagem simples e acessível. E é bem isso mesmo! Adorei “A História da Filosofia” porque Anne Rooney fala de grandes pensadores, desde de Sócrates a John Rawls, de uma forma objetiva e clara, deixando a complexidade apenas para as reflexões levantadas.

Fiz o vídeo abaixo falando mais sobre o que achei dessa leitura.

Se inscreva no nosso canal do Youtube!

Nota 9

Resenha – A Casa do Céu

A Casa do Céu
Título Original: A House In The Sky
Autor: Amanda Lindhout e Sara Corbett
Editora: Novo Conceito
Páginas: 448
Amazon | Submarino | Americanas | Saraiva | Livraria Cultura

Sinopse
O relato dramático e libertador de uma mulher cuja curiosidade a levou até os lugares mais bonitos e remotos do mundo, seus países mais instáveis e perigosos, e também a passar quinze meses em um angustiante cativeiro — uma história de coragem, resiliência e beleza.

Opinião
Antes desse livro eu nunca tinha ouvido falar na Amanda Lindhout e depois dessa leitura, ela se tornou minha heroína.

O livro começa lindo e maravilhoso contando a vida inspiradora da Amanda. Digo inspiradora pois ela teve a coragem de fazer o que muita gente gostaria de fazer: viajar pelo mundo! Ela trabalhava de garçonete no Canadá apenas para juntar dinheiro e poder viajar por vários países, sozinha ou acompanhada.

Essas viagens renderam várias histórias interessantes e apresenta para o leitor um pouco da cultura de outros países de uma forma bem realista e pessoal, como por exemplo, os preconceitos sofridos por ser uma mulher viajando sozinha para países altamente sexistas como Bangladesh. Lá ela mal conseguia lugar para se hospedar só porque estava sozinha. O atrevimento e coragem da Amanda Lindhout era tanto que ela resolveu ir para o Afeganistão e de lá para a Somália, onde há uma constante guerra civil acontecendo desde os anos 90.

Lá a história bonita se dissolve e entra o terror. Ela e seu amigo Nigel foram sequestrados e sofreram os maiores abusos que se pode imaginar durante 15 meses.

Vendo que seus sequestradores eram muçulmanos bem religiosos, Amanda resolveu se converter ao islamismo na esperança deles a respeitarem um pouco mais e parar de alguma forma os abusos, estupros e a tortura constante. Infelizmente isso não serviu de nada e Amanda teve que aguentar todo o sofrimento apenas com o pensamento positivo de que o dia de sua liberdade chegaria.

Os relatos são brutais e durante muitas vezes eu me esquecia que era uma história real pois a narração é de virar o estômago e de desacreditar na humanidade. Nunca li um livro tão angustiante quanto “A Casa do Céu” e Amanda se tornou minha heroína real porque só uma pessoa com muita fibra para sobreviver ao que ela passou.

Quem gosta de drama real, forte e de pessoas com uma tenacidade de dar inveja, não pode deixar de ler “A Casa do Céu” mas se prepare para passar muita raiva pois as descrições dos fatos são cruéis.

Nota 9

Resenha – Orgulho e Preconceito

Orgulho e preconceito martin claretOrgulho e Preconceito
Título Original: Pride and Prejudice
Autor: Jane Austen
Editora: Martin Claret
Páginas: 304

Sinopse
Orgulho e Preconceito (1813) é a envolvente história de Fitzwillian Darcy e Elizabeth Bennet, os quais, à primeira vista (aliás, Fisrt Impressions, “Primeiras impressões”, foi o título originalmente dado por Jane Austen a esta obra), não têm uma boa opinião um do outro, mas, no desenvolvimento do enredo, acabam descobrindo que estavam totalmente enganados.

Esta é a obra mais aclamada desta autora, não só no Reino Unido como em todo mundo, e tem sido frequentemente adaptada para o cinema, televisão e teatro, com grande sucesso de público e crítica.

Opinião
Porque Mr. Darcy faz tanto sucesso? Essa foi a pergunta que me incentivou a dar prioridade a esse livro na lista dos 1001 Livros Para Ler Antes de Morrer. No começo não entendi como alguém poderia gostar daquele personagem arrogante mas ao final do livro eu já estava vestindo a camiseta de “I love Mr. Darcy”.

O que mais gostei desse livro foram os personagens que tem a personalidade muito bem definida, até mesmo os secundários. Elizabeth me encantou por ser tão astuta e a frente de seu tempo, seu pai me ganhou pelo tom sarcástico que utilizava sempre com sua mulher histérica e suas filhas afetadas. Jane, a filha mais doce e “perfeita demais” me deixou querendo sacudi-la para demonstrar um pouco mais de suas emoções e Mr. Darcy… Bem… Mr. Darcy, um homem arrogante e orgulhoso que depois se mostrou zeloso e apaixonado, levando as leitoras a loucura :D.

É suportável, mas não bonita o bastante para me animar; não estou com paciência no momento para dar atenção a mocinhas que foram desdenhadas por outros homens.

– Mr. Darcy sendo delicado como um elefante em uma loja de cristais

Não estou acostumada a ler romances antigos e achei bem engraçado ler um livro onde as pessoas só pensam em casamento e onde os valores monetários citados como um grande montante para a época, não valem muita coisa hoje em dia. Fora esses dois pontos, essa história poderia ser bem atual.

Mr. Bingley - Simon Woods
Mr. Bingley (Simon Woods)
Suspiros…

Eu já tinha assistido o filme Orgulho e Preconceito com a Keira Knightley e Matthew MacFadyen então o ruim disso é que os personagens automaticamente ganharam a cara dos atores. A parte boa foi que pelo menos pude sonhar um pouco com o Mr. Bingley do filme (Simon Woods).

E esse foi o segundo livro do ano que está na lista dos 1001 livros para ler antes de morrer. Mais um livro que faz total sentido fazer parte dessa lista, tanto pela complexidade dos personagens quanto pela reviravolta de sentimentos que causa no leitor em relação a Mr. Darcy.

Nota 9

Resenha – Como Eu Era Antes de Você

Como Eu Era Antes de Você
Título Original: Me Before You
Autor: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Amazon | Submarino | Americanas

Sinopse
Como Eu Era Antes de Você – Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Além disso, trabalha como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.

Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, a ex-garçonete consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.

Opinião
Louisa Clark, uma mulher de 26 anos que não sabe o que fazer da vida, é demitida do café onde trabalhava como garçonete. Após várias tentativas frustradas em novos empregos, surgiu a oportunidade de cuidar de Will Traynor, um rico e jovem tetraplégico. Apesar de Louisa não ter experiência como cuidadora, a mãe de Will acha que ela pode trazer um pouco de animação para seu filho que vive com em constante mal humor e deprimido.

O trabalho de cuidadora foi mais difícil do que Louisa pensava pois Will a trata rudemente e nunca a quer por perto.
Além de ter problemas no trabalho, Lou namora Patrick, que a agradava muito até se tornar triatleta. Depois disso, Patrick só pensa em treinos, calorias e competições e Lou se sente rejeitada. Para completar, sua família passa por problemas financeiros e por mais que ela deseje largar esse emprego, não pode porque deve ajudar a sustentar a casa.

Eu fiquei apaixonada e ao mesmo tempo muito irritada com os personagens.
Will, por exemplo, era um homem ativo, gostava de trabalhar e viajar até acontecer o acidente que o deixou tetraplégico. Ele não aceita sua atual condição e já tentou se matar para acabar logo com seu sofrimento pois além de não conseguir se mexer, sente constantes dores e toma diariamente vários remédios para controlá-las.

Por estar nesta situação e sem perspectiva de melhora, Will se torna uma pessoa infeliz e amargurada, o que é totalmente compreensível, mas Lou parece não entender.
Ela é muito egoísta, não só com Will mas também com sua irmã que já tem um filho. Sempre se faz de vítima e acha que tudo é mais difícil na vida dela. Deu muita vontade de entrar no livro e sacudir a personagem para ela acordar para vida rs

Felizmente ao longo do livro, Lou amadurece e nem parece a mesma pessoa do inicio da história. Ela compreende as dificuldades de Will e tenta fazer a vida dele um pouco melhor e mais divertida, o que nem sempre da certo, mas os dois acabam se entendendo e criando um forte vinculo.

“Como eu era antes de você” é aquele livro que vai te arrancar sorrisos e lágrimas muitas lágrimas um rio de lágrimas. Mais do que um romance, é um livro para refletir sobre a vida.

Abaixo um diálogo entre Lou e Will após ele contar a ela as viagens e aventuras que já tinha vivido.

— Não acha que é mais difícil para você… se adaptar, digamos assim… Porque você fez todas essas coisas?
— Está perguntando se eu preferia não ter feito nada?
— Estava pensando se não seria mais fácil para você. Se tivesse tido uma vida menos rica antes. Viver assim, como você vive agora, quero dizer.
— Jamais me arrependerei do que fiz. Porque, quase sempre, se você está enfiado numa cadeira assim, só pode ir aos lugares da lembrança.

Nota 9

Resenha – A Culpa é das Estrelas

A Culpa é das Estrelas
Título Original: The Fault in Our Stars
Autor: John Green
Editora:Intrínseca
ISBN: 9788580572261
Páginas: 288
Amazon | Submarino | Americanas

Sinopse
Os adolescentes Hazel e Gus gostariam de ter uma vida normal. Alguns diriam que não nasceram com estrela, que o mundo deles é injusto. Os dois são novinhos, mas se o câncer do qual padecem ensinou alguma coisa, é que não há tempo para lamentações, pois, se aceitamos ou não, só existe o hoje e o agora. E assim, com a intenção de realizar o maior desejo de Hazel – conhecer seu escritor favorito – ambos cruzarão o Atlântico para uma aventura contra o tempo, tão catártico quanto devastador. Destino: Amsterdam, o lugar onde reside o enigmático e mal-humorado escritor – a única pessoa que talvez possa ajudar-lhes a encaixar as peças do enorme quebra-cabeça onde se encontram.

Opinião
Eu vejo comentários positivos desse livro desde seu lançamento mas como a fila de leitura não para de crescer, fui deixando ele para depois.
Esses dias peguei ele ao acaso e me arrependi profundamente por ter demorado tanto para ler! O livro é muito mais emocionante do que eu pensava.
Ele retrata a dor de Hazel, uma adolescente com câncer terminal que se encontra em depressão. Por conta de sua doença, os pais a tiraram da escola e eles eram praticamente as únicas pessoas que Hazel tinha contato até conhecer Gus e começar a se envolver com ele.
Hazel se sentia uma bomba relógio perto de explodir e, por conta disso, tentava não se envolver tanto com Gus mas o que eles sentiam um pelo outro não pôde ser evitado.

Com o câncer a assombrando, um escritor excêntrico como ídolo, uma família amável e com seu parceiro Gus, Hazel consegue sair da depressão que se encontrava e começa a viver o pouco de vida que lhe resta.
“A Culpa é das Estrelas” é um livro intenso, triste e com uma reviravolta inesperada. O final da história não foi o que eu esperava, acabou sendo mais triste do que eu pensava que seria.

Uma coisa que me deixou extremamente curiosa foi que durante o livro, Hazel fala muito do livro “Uma Aflição Imperial” e eu, obviamente, fui procurá-lo mas… ele não existe! E John Green não pretende escrevê-lo. #leitorachatiada 🙁
Fora essa maldade do John Green, o livro é maravilhoso e muito comovente. Não é a toa que ele foi um dos livros mais vendidos de 2013.
E deixo aquele aviso básico: leia com lenços por perto porque esse é de chorar litros!

Nota 9

This site employs the Wavatars plugin by Shamus Young.