Não Sou Este Tipo de Garota
Titulo Original: Not That Kind Of Girl
Autor: Siobhan Vivian
Editora: Novo Conceito Jovem
ISBN: 9788563219381
Páginas: 248
Amazon | Submarino | Americanas

Sinopse
Perversa ou inofensiva? Confiável ou hipócrita? Controlada ou insensata? A vida é sobre suas decisões e escolhas, e Natalie Sterling se orgulha de sempre fazer as melhores. Ela ignora os caras populares e babacas da escola, sempre ganha medalhas de honra e está prestes a ser a primeira estudante jovem a ser presidente do conselho estudantil em anos. Se apenas todas as outras garotas fossem tão sensíveis e fortes. Como o grupo de novatas que querem ser brinquedos dos jogadores de futebol. Ou sua melhor amiga, que tomou uma decisão idiota que quase arruinou sua vida. Mas ser sensível e forte não é fácil. Não quando uma brincadeira quase a faz ser expulsa. Não quando seus conselhos dóem mais do que ajudam. Não quando um cara que ela já deu um fora se torna o cara que ela não consegue parar de pensar. A linha entre o certo e o errado foi distorcida, e cruzá-la poderá resultar em um desastre… ou se tornar a melhor escolha que ela já imaginou fazer.

Opinião
“Não Sou Este Tipo de Garota” é um dos primeiros livros do selo Novo Conceito Jovem que, diga-se de passagem, começou muito bem.
Natalie Sterling é uma estudante nerd certinha do ensino médio. Com ótimas notas e sendo a preferida dos professores, já podemos imaginar o seu grau de popularidade, certo? 0. Não que ela se importasse com isso, pelo contrário, sempre se mostrava superior a todos os idiotas da escola e até então estava tudo bem.
A vida de Natalie começou a mudar quando Spencer, uma menina que ela tinha sido babá, começou a estudar na mesma escola que ela.
Spencer é uma garota bem resolvida com sua sexualidade mas que, por conta disso, passa uma imagem errada sobre sua pessoa. Natalie tenta várias vezes “consertar” Spencer dando lições de moral que não resultam em nada.

No começo da história me simpatizei pela personagem, pela sua vontade de proteger sua amiga Autumn e por ser uma menina centrada, mas como o livro é escrito em 1ª pessoa, conseguimos mergulhar na mente de Natalie e descobrimos que… é FACHADA!!!
Podemos ver que ela na sua busca pela perfeição, é extremamente julgadora e preconceituosa. Ela acredita que todos devem ser da mesma forma que ela e tenta controlar as pessoas que estão a sua volta.

É interessante ver sua luta psicológica quando ela gosta de fazer algo que julga errado e continua a condenar as pessoas que fazem o mesmo que ela. Aquela velha frase “Faça o que eu digo mas não faça o que eu faço” cabe muito bem para Sterling. Quando ler o livro você irá perceber o quanto Natalie é hipócrita, tanto que da até raiva.

Para um livro YA achei ele um pouco mais sério do que os outros. Geralmente temos apenas romances e dramas adolescentes, mas esse além disso traz essa reflexão sobre julgamento, aceitação (própria e com os outros), humildade, quebra de paradigmas e aproveitar a vida sem medo de ser feliz.

“A mudança não era mais algo a ser temido” Natalie Sterling.

Nota 9