Tag: Romance histórico

Resenha – Orgulho e Preconceito

Orgulho e preconceito martin claretOrgulho e Preconceito
Título Original: Pride and Prejudice
Autor: Jane Austen
Editora: Martin Claret
Páginas: 304

Sinopse
Orgulho e Preconceito (1813) é a envolvente história de Fitzwillian Darcy e Elizabeth Bennet, os quais, à primeira vista (aliás, Fisrt Impressions, “Primeiras impressões”, foi o título originalmente dado por Jane Austen a esta obra), não têm uma boa opinião um do outro, mas, no desenvolvimento do enredo, acabam descobrindo que estavam totalmente enganados.

Esta é a obra mais aclamada desta autora, não só no Reino Unido como em todo mundo, e tem sido frequentemente adaptada para o cinema, televisão e teatro, com grande sucesso de público e crítica.

Opinião
Porque Mr. Darcy faz tanto sucesso? Essa foi a pergunta que me incentivou a dar prioridade a esse livro na lista dos 1001 Livros Para Ler Antes de Morrer. No começo não entendi como alguém poderia gostar daquele personagem arrogante mas ao final do livro eu já estava vestindo a camiseta de “I love Mr. Darcy”.

O que mais gostei desse livro foram os personagens que tem a personalidade muito bem definida, até mesmo os secundários. Elizabeth me encantou por ser tão astuta e a frente de seu tempo, seu pai me ganhou pelo tom sarcástico que utilizava sempre com sua mulher histérica e suas filhas afetadas. Jane, a filha mais doce e “perfeita demais” me deixou querendo sacudi-la para demonstrar um pouco mais de suas emoções e Mr. Darcy… Bem… Mr. Darcy, um homem arrogante e orgulhoso que depois se mostrou zeloso e apaixonado, levando as leitoras a loucura :D.

É suportável, mas não bonita o bastante para me animar; não estou com paciência no momento para dar atenção a mocinhas que foram desdenhadas por outros homens.

– Mr. Darcy sendo delicado como um elefante em uma loja de cristais

Não estou acostumada a ler romances antigos e achei bem engraçado ler um livro onde as pessoas só pensam em casamento e onde os valores monetários citados como um grande montante para a época, não valem muita coisa hoje em dia. Fora esses dois pontos, essa história poderia ser bem atual.

Mr. Bingley - Simon Woods
Mr. Bingley (Simon Woods)
Suspiros…

Eu já tinha assistido o filme Orgulho e Preconceito com a Keira Knightley e Matthew MacFadyen então o ruim disso é que os personagens automaticamente ganharam a cara dos atores. A parte boa foi que pelo menos pude sonhar um pouco com o Mr. Bingley do filme (Simon Woods).

E esse foi o segundo livro do ano que está na lista dos 1001 livros para ler antes de morrer. Mais um livro que faz total sentido fazer parte dessa lista, tanto pela complexidade dos personagens quanto pela reviravolta de sentimentos que causa no leitor em relação a Mr. Darcy.

Nota 9

Resenha – Jardim de Inverno

Jardim de Inverno
Título Original: Winter Garden
Autor: Kristin Hannah
Editora: Novo Conceito
Páginas: 416
Amazon | Submarino | Americanas

Sinopse
Meredith e Nina Whiston são tão diferentes quanto duas irmãs podem ser. Uma ficou em casa para cuidar dos filhos e da família. A outra seguiu seus sonhos e viajou o mundo para tornar-se uma fotojornalista famosa. No entanto, com a doença de seu amado pai, as irmãs encontram-se novamente, agora ao lado de sua fria mãe, Anya, que, mesmo nesta situação, não consegue oferecer qualquer conforto às filhas.
A verdade é que Anya tem um motivo muito forte para ser assim distante: uma comovente história de amor que se estende por mais de 65 anos entre a gelada Leningrado da Segunda Guerra e o não menos frio Alasca. Para cumprir uma promessa ao pai em seu leito de morte, as irmãs Whiston deverão se esforçar e fazer com que a mãe lhes conte esta extraordinária história.
Meredith e Nina vão, finalmente, conhecer o passado secreto de sua mãe e descobrir uma verdade tão terrível que abalará o alicerce de sua família… E mudará tudo o que elas pensam que são.

Opinião
Meredith e Nina Whiston sofreram muito quando eram crianças por ter uma mãe fria e distante. O único momento íntimo entre elas era quando a mãe contava um conto de fadas para elas dormirem mas ela nunca chegava ao final da história.
Elas achavam que a mãe não as amava mas o pai era um homem muito atencioso e carinhoso que, de certa forma, cobria essa falta que a mãe fazia.
Anos depois, quando Meredith e Nina já eram adultas, o pai faleceu e seu último pedido foi implorar para Anya, a mãe, contar para as filhas a história até o final.

Meredith era a mais resistente pois, por conta de um episódio em sua infância, jurou que nunca mais iria escutar as histórias da mãe novamente, mas como esse foi o último pedido de seu amado pai, Meredith deu o braço a torcer e deu atenção ao conto de fadas.
Enquanto ouviam o conto, elas notaram havia algo de errado com ele. Havia partes que elas não se lembravam e que eram bem esquisitas para estar em uma história infantil. Foi assim que elas descobriram que aquilo era mais do que um conto e sim a história sofrida de sua família.

Misturando romance com um contexto histórico terrível, Kristin Hannah fez um belo livro mostrando como a guerra pode afetar uma família. A história de Anya se passa na União Soviética, na época da Segunda Guerra Mundial, mais especificamente na região de Leningrado, uma das regiões que mais sofreram por conta do cerco das tropas inimigas. Nessa cidade, a comida era extremamente racionada pois quase não chegava alimento na região e muitas pessoas morreram de frio, fome e outras doenças ocasionadas por conta disso.
Anya descreve duramente tudo o que ela passou para cuidar de sua família em meio a guerra e tudo que ela perdeu no meio do caminho.

“Jardim de Inverno” é extremamente triste (leia com lenços) e você consegue sentir o desespero e a dor de seus personagens. A história da família de Anya não foi bonita mas com suas duas filhas dando apoio, ela finalmente encontrou a paz e o amor que precisava.

Nota 8

Resenha – A Casa das Orquídeas

A Casa das Orquídeas
Título Original: Hothouse flower
Autor: Lucinda Riley
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788563219961
Páginas: 560
Amazon | Submarino | Americanas

Sinopse
Quando criança, a pianista Júlia Forrester passava seu tempo na estufa da propriedade de Wharton Park, onde flores exóticas cultivadas pelo seu avô nasciam e morriam com as estações. Agora, recuperando-se de uma tragédia na família, ela busca mais uma vez o conforto de Wharton Park, recém-herdada por Kit Crawford, um homem carismático que também tem uma história triste. No entanto, quando um antigo diário é encontrado durante uma reforma, os dois procuram a avó de Júlia para descobrirem a verdade sobre o romance que destruiu o futuro de Wharton Park… E, assim, Júlia é levada de volta no tempo, para o mundo de Olívia e Harry Crawford, um jovem casal separado cruelmente pela Segunda Guerra Mundial, cujo frágil casamento estava destinado a afetar a felicidade de muitas gerações, inclusive da de Júlia.

Opinião
Há tempos que não leio uma obra com personagens tão complexos e que me envolvesse tanto. Estou até com medo de fazer essa resenha pois não acho que vou conseguir fazer uma à altura do livro.

“A Casa das Orquídeas” tem esse nome singelo que o torna impossível julgá-lo pelo nome. Sua história se passa em 2 épocas diferentes. A primeira é “atualmente” e conta a história de Julia, uma mulher que sofreu duas grandes perdas em sua vida. Seu marido e seu filho morreram em um acidente de carro e sem eles Julia perdeu o sentido da vida e se isolou pois estava totalmente sem forças para viver.
A segunda história se desenvolve no ano de 1939 e retrata a vida de Olivia e seu casamento frustrado com Harry Crawford. Esses acontecimentos do passado desvendam grandes segredos familiares e estão intimamente ligados à vida de Julia.

Eu achei essa história do passado muito mais interessante e envolvente, tanto que às vezes me esquecia da existência da Julia :D.
O que mais gostei desse livro é que a história tem vários clímax. O primeiro até me espantou porque parecia um grande fecho da história e quando vi ainda estava na metade do livro! Então quem for ler, se prepare para muitas surpresas. As 560 páginas passam rapidamente e deixou no final aquela tristeza por não poder acompanhar mais aqueles maravilhosos personagens que tanto me cativaram.

Se eu falar mais sobre a história vou acabar dando spoiler então.. acabo por aqui dando a esse livro a nota 10! Sim! Faz tempo que não dou a nota 10 não é mesmo? Lucinda Riley fez um trabalho tão bom que não me deixou com outra opção :P.

Nota 10

This site employs the Wavatars plugin by Shamus Young.